Crítica: “O Estranho que Nós Amamos”, dirigido por Sofia Coppola

A Guerra Civil Americana é pano de fundo para uma história de desejo e vingança em O Estranho que Nós Amamos, filme que fez de Sofia Coppola a segunda mulher na história a ganhar o prêmio de direção no Festival de Cannes. Saiba mais: Sofia Coppola ganha o prêmio de direção no Festival de Cannes Leia também: Os 12 melhores filmes do século 21, segundo

7 filmes para ver no Festival de Gramado

A 45ª edição do Festival de Cinema de Gramado começa nesta quinta-feira (17) na cidade gaúcha, com quatro filmes dirigidos por mulheres entre os sete que formam a competição nacional. É um grande avanço em relação a 2016, quando a mostra competitiva brasileira do festival não teve títulos realizados por diretoras. Neste ano, o festival dará o Troféu Oscarito, dedicado a grandes nomes do cinema nacional,

Vania Catani: “Produtor tem de ser vocacionado”

Receita para eliminar qualquer possibilidade de trabalhar com Vania Catani: diga que quer ser produtor ou produtora só até chegar à função cinematográfica que realmente deseja desempenhar. A ideia de a produção ser um "bico" ou "passagem para outra coisa" é das que mais irrita a dona da Bananeira Filmes: "Ao contrário do que todo mundo pensa, não é qualquer um que pode

3 filmes para ver na Mostra Mundo Árabe

A 12ª edição da Mostra Mundo Árabe de Cinema começa nesta quarta-feira (9) em São Paulo (SP), com sessões no Cinesesc até o dia 16 de agosto. Como neste ano o tema principal é "Os territórios que nos atravessam", grande parte dos 11 filmes na programação tratam sobre o deslocamento das pessoas e da reconstrução de um sentido de lugar. Abaixo, veja

“O Reencontro” é palco para grandes atrizes francesas

Duas das principais atrizes do cinema francês, Catherine Frot e Catherine Deneuve contracenam em O Reencontro, filme dirigido por Martin Provost que está em cartaz no Brasil após ser ter sido exibido no Festival Varilux. Catherine Frot é Claire, uma parteira que ama seu trabalho, mas se prepara para ficar desempregada com o fechamento da clínica em que trabalha. Mãe solteira de um

5 filmes de diretoras para ver em agosto na Netflix

Todo mês o Mulher no Cinema escolhe cinco filmes dirigidos por mulheres que podem ser vistos em casa mesmo, no conforto da Netflix. São títulos de diferentes gêneros, que mostram a variedade da produção feminina e ajudam naqueles dias em que a vontade de ver um filme é grande, mas a inspiração não vem. Veja os destaques do mês de agosto: "Agnus Dei" [Les Innocentes,

Paula Barreto fala sobre desafios da produção de audiovisual no Brasil

O sobrenome Barreto é parte fundamental da história do cinema brasileiro. Desde 1963, quando o patriarca da família, Luiz Carlos, criou a produtora L.C. Barreto, foram mais de 80 filmes lançados, entre curtas e longas-metragens - uma lista que inclui sucessos como Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976) e Bye, Bye Brasil (1980), e dois indicados ao Oscar de

Top