Mulheres são maioria na disputa por prêmio de direção do Spirit Awards

Mulheres são maioria na disputa pelo prêmio de direção na edição 2019 do Independent Spirit Awards, conhecido como o Oscar do cinema independente. As indicações foram anunciadas nesta sexta-feira (16). Leia também: Brasileiras são indicadas ao Oscar do cinema independente Três mulheres estão na disputa: Debra Granik, por Não Deixe Rastros; Tamara Jenkins, por Mais Uma Chance (que está na nossa lista de

Brasileiras concorrem ao Oscar do cinema independente com “Sócrates”

As brasileiras Thayná Mantesso e Tammy Weiss estão na disputa pelo Independent Spirit Awards, conhecido como o Oscar do cinema independente americano. Elas são, respectivamente, roteirista e produtora de Sócrates, filme brasileiro que recebeu três indicações ao prêmio. Leia também: Mulheres são maioria na disputa por prêmio de direção do Spirit Awards Thayná e Tammy concorrem ao Troféu John Cassavetes, que premia

5 filmes de diretoras para ver em novembro na Netflix

Todo mês o Mulher no Cinema escolhe cinco filmes dirigidos por mulheres que podem ser vistos em casa mesmo, no conforto da Netflix. São títulos de diferentes gêneros, que mostram a variedade da produção e ajudam nos dias em que a vontade de ver um filme é grande, mas a inspiração não vem. Veja os destaques do mês de novembro: "6 Balões" [6 Balloons,

Mulheres dirigiram 40% dos pré-candidatos ao Oscar de documentário

Sessenta e sete dos 166 filmes que buscam uma indicação ao Oscar de melhor documentário foram dirigidos ou codirigidos por mulheres, segundo levantamento feito pelo Mulher no Cinema a partir da lista divulgada pela Academia de Ciências Cinematográficas. Leia também: Mulheres dirigiram 23% dos candidatos ao Oscar de filme estrangeiro Saiba mais: Três dos 25 candidatos ao Oscar de animação têm direção feminina Dicas de filmes: 40 documentário dirigidos

Teresa Villaverde: “Há cada vez menos tempo, mas é bom ouvir histórias”

Um dos principais nomes do cinema português, Teresa Villaverde teve participação dupla na edição deste ano da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo: foi membro do júri internacional que premiou Las Sandinistas, de Jenny Murray, e apresentou seu novo filme, O Termômetro de Galileu, também selecionado para o Festival do Rio. Leia também: Mulheres dominam a premiação da Mostra de Cinema

Na Índia, Inka Achté retrata iniciativa que educa garotos sobre masculinidade tóxica

Em 2012, um crime violento ocorrido em Nova Délhi, na Índia, chocou o mundo: a estudante Jyoti Singh Pandey, de apenas 23 anos, foi espancada, torturada e estuprada por seis homens dentro de um ônibus. Morta em decorrência do ataque, a jovem tornou-se símbolo da luta das indianas por direitos, especialmente na cidade que é a quarta mais perigosa do

Henrika Kull sobre equipe feminina de “Jibril”: ‘Houve confiança entre nós’

Quão longe pode chegar um filme universitário? Jibril, o trabalho de conclusão de curso da alemã Henrika Kull, chegou à seção Panorama do Festival de Berlim e, agora, à Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. Com equipe reduzida e formada principalmente por mulheres, o longa conta a história de Maryam, jovem alemã de origem árabe. Mãe solteira de três meninas,

Estreias da semana: as mulheres que chegam às salas

Toda semana o Mulher no Cinema prepara uma lista com os filmes dirigidos, escritos e/ou centrados em mulheres que chegam às salas do Brasil. Veja as estreias desta quinta-feira, 1º de novembro. "O Doutrinador" [Brasil, 2018] Usando o disfarce de "doutrinador", um vigilante decide atacar a impunidade e os políticos e donos de empreiteiras enriqueçam às custas da população brasileira. Mirna Nogueira integra o

15 filmes de diretoras para ver no Festival do Rio

Mais de 200 filmes de 60 países estão na programação deste ano do Festival do Rio, que fica em cartaz entre os dias 1° e 11 de novembro na capital fluminense. Em sua 20ª edição, o evento enfrentou dificuldades para obter patrocínio e, por isso, é realizado mais tarde do que de costume e em versão mais enxuta. Quatro filmes dirigidos ou

Brunna Laboissière conta bastidores de ‘Fabiana’, filme sobre caminhoneira trans

O primeiro longa-metragem da diretora Brunna Laboissière surgiu de um hábito: pegar carona pelas estradas do Brasil. Estudando Arquitetura e Urbanismo em São Paulo, ela costumava viajar assim para visitar os pais em sua cidade natal, Goiânia. Um dia, foi surpreendida ao ver quem dirigia o caminhão que parou para que ela subisse na boleia: não era um homem, como costumava

Top