Conheça Camilla Rocha Campos, criadora das performances de “Ana. Sem título”

Criar a obra e o posicionamento político de uma artista brasileira, negra, perseguida pela ditadura militar - e fictícia. Esta foi a missão de Camilla Rocha Campos em Ana. Sem título, filme da diretora Lucia Murat que está em cartaz nos cinemas de Brasília, Fortaleza, Niterói, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. Lucia Murat: "Acredito realmente que

Sinai Sganzerla filma Helena Ignez: ‘Queria que ela contasse sua própria história’

Quem é Helena Ignez? Há várias respostas possíveis para a pergunta que abre A Mulher da Luz Própria, documentário que Sinai Sganzerla dirigiu sobre a vida e a obra da mãe, e que estreou este mês no Curta!On, a plataforma de streaming do canal Curta!, disponível também no Now. Entrevista: Autora, Helena Ignez rejeita título de musa: “A voz da musa é

Emma Seligman fala sobre inspirações e desafios da comédia “Shiva Baby”

"Escreva sobre o que você conhece" é uma recomendação comum a cineastas em início de carreira, e que a roteirista e diretora canadense Emma Seligman resolveu seguir. Em Shiva Baby, seu primeiro longa-metragem, ela buscou inspiração em suas próprias experiências para contar a história de uma protagonista jovem, judia e bissexual que tenta entender seu lugar no mundo. E a

Diretoras falam sobre “Alvorada” e desejo de mostrar “outro lado” de Dilma Rousseff

A primeira voz que ecoa em Alvorada, documentário de Anna Muylaert e Lô Politi sobre o processo que derrubou a primeira mulher presidente do Brasil, não é de Dilma Rousseff e, sim, de Jair Bolsonaro. Embora veja apenas um fundo preto e os créditos iniciais, o espectador se lembra bem da imagem que acompanha aquelas palavras: em pleno Congresso Nacional,

Roseanne Liang sobre dirigir filmes de ação: ‘As histórias não são binárias’

Em janeiro de 2019, um estudo da Annenberg Inclusion Initiative analisou 1,2 mil filmes que fizeram sucesso nas bilheterias americanas entre 2007 e 2018 e buscou responder à pergunta: quais tipos de histórias têm mais ou menos mulheres por trás das câmeras? Revelou-se que o drama era o gênero menos desigual: para cada 10,8 cineastas homens, havia uma cineasta mulher.

Alice Lanari fala sobre relevância “assustadora” de “América Armada”

Em uma das primeiras cenas de América Armada, documentário de Alice Lanari e Pedro Asbeg que chegou neste mês ao streaming, a ativista colombiana Teresita Gaviria ouve a história de uma das muitas mulheres que a procuram em busca de informações sobre parentes desaparecidos. Com semblante triste, mas sem chorar, a mulher conta que o conflito armado do país primeiro

Mounia Meddour fala sobre “Papicha”: “Discutir o passado é fundamental”

Faz mais de um ano que Papicha, primeiro longa de ficção da diretora Mounia Meddour, chegou aos cinemas do Brasil, e quase dois desde que o filme fez sua estreia mundial do Festival de Cannes. No entanto, frequentes comentários nas redes sociais indicam que este forte drama ambientado na Argélia dos anos 1990 ficou na memória de muita gente e

Véronique Reymond e Stéphanie Chuat falam da parceria em “Minha Irmã”

As diretoras, roteiristas e atrizes suíças Stéphanie Chuat, de 50 anos, e Véronique Reymond, 49, mal conseguiram fazer uma pausa nos últimos meses. Desde que disputaram o Urso de Ouro no Festival de Berlim, em fevereiro do ano passado, elas têm exibido o longa Minha Irmã em eventos pelo mundo, como a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e

Online e gratuito, documentário “À Luz Delas” entrevista diretoras de fotografia

Um documentário sobre o trabalho das mulheres na direção de fotografia no Brasil agora pode ser visto online e gratuitamente. Dirigido por Luana Farias e Nina Tedesco, À Luz Delas chegou em dezembro à plataforma Videocamp e busca falar a um público amplo sobre a experiência e os desafios de quem fez carreira em uma das áreas que mais impõem obstáculos

Shahrbanoo Sadat: “Cineastas afegãos devem quebrar clichês sobre o país”

Com três longas no currículo, Shahrbanoo Sadat é uma diretora em posição inusitada: ela é afegã, vive em Cabul e conta histórias sobre o Afeganistão, mas filma fora do país, com dinheiro estrangeiro e equipe europeia. Seus filmes foram mais vistos pelo público do Festival de Cannes do que por seus compatriotas, mas partem de uma perspectiva inegavelmente local. "Acredito

Top