Crítica: Documentário narra trajetória de David Lynch antes de “Eraserhead”

Não poderia ser melhor o momento do lançamento no Brasil de David Lynch: A Vida de um Artista, documentário sobre o cineasta americano que chegou às salas na semana passada. Com o fim da nova e espetacular temporada da série Twin Peaks, há um renovado interesse pela obra do diretor, também responsável por filmes celebrados como Veludo Azul (1986), Estrada Perdida (1997)

Sofia Coppola aborda desejo e vingança em “O Estranho que Nós Amamos”

A Guerra Civil Americana é pano de fundo para uma história de desejo e vingança em O Estranho que Nós Amamos, filme que fez de Sofia Coppola a segunda mulher na história a ganhar o prêmio de direção no Festival de Cannes. Saiba mais: Sofia Coppola ganha o prêmio de direção no Festival de Cannes Leia também: Os 12 melhores filmes do século 21, segundo

Pouco original, “O Reencontro” se apoia no talento de grandes atrizes

Duas das principais atrizes do cinema francês, Catherine Frot e Catherine Deneuve contracenam em O Reencontro, filme dirigido por Martin Provost que está em cartaz no Brasil após ser ter sido exibido no Festival Varilux. Catherine Frot é Claire, uma parteira que ama seu trabalho, mas se prepara para ficar desempregada com o fechamento da clínica em que trabalha. Mãe solteira de um

Crítica: “Perdidos em Paris”, de Fiona Gordon e Dominique Abel

Uma bibliotecária atrapalhada, um mendigo apaixonado e uma velhinha foragida. São estes os protagonistas de Perdidos em Paris, coprodução de França e Bélgica que está em cartaz nos cinemas brasileiros após passar pelo Festival Varilux. Trata-se do quarto longa-metragem de Fiona Gordon e Dominique Abel, mas o primeiro em que a dupla não divide a direção com Bruno Romy. Casados na vida real, os dois se conheceram

“GLOW” usa luta livre para falar da mulher em Hollywood

Na primeira cena de GLOW, nova série original da Netflix, a personagem principal, Ruth Wilder, encara a câmera em um teste para um papel. Após dar tudo de si em um breve, mas intenso monólogo, recebe o olhar confuso da diretora de elenco: aquelas falas eram as do protagonista masculino. Ruth, então, começa novamente, agora com as partes do diálogo que cabiam ao

Crítica: “Paris Pode Esperar”, de Eleanor Coppola

Em 2009, Eleanor Coppola estava em Cannes acompanhando o marido, Francis Ford Coppola, em um dos principais festivais de cinema do mundo. De lá, o casal seguiria para o Leste Europeu, mas Eleanor tinha uma forte gripe e não queria voar. Aceitou, então, a ajuda de um francês sócio do marido, que ofereceu levá-la de carro até Paris. A viagem que

Por que você deve ir ao cinema ver “Mulher-Maravilha”

É uma bem-vinda coincidência que o aguardadíssimo Mulher-Maravilha chegue aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (1°), mesmo dia em que o Mulher no Cinema completa dois anos no ar. Quando foi criado, o site buscava potencializar no Brasil o debate internacional sobre a representação e participação feminina no audiovisual. Um debate que está intimamente ligado à Mulher-Maravilha, potencial divisor de águas no

Top