Dos 4 filmes de diretoras na principal mostra de Cannes, 3 foram premiados

A neozelandesa Jane Campion continuou sendo a única cineasta mulher a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes depois de Parasites, de Bong Joon-ho, ser anunciado como o ganhador da edição deste ano. Mas eis um dado interessante: dos quatro filmes dirigidos por mulheres que estavam entre os 21 títulos da competição principal, três receberam troféus neste sábado (25). Leia também: Dirigido por Mati Diop,

“Atlantique”, de Mati Diop, ganha Grand Prix em Cannes

Atlantique, primeiro longa da diretora francesa de origem senegalesa Mati Diop, ganhou o Grand Prix no Festival de Cannes deste ano. O júri presidido por Alejandro González Iñárritu anunciou os vencedores da edição 2019 do evento em cerimônia realizada neste sábado (25). Conhecida pelo trabalho como atriz em 35 Doses de Rum (2008), de Claire Denis, Diop foi a primeira mulher negra a

Guia de Cannes: os filmes dirigidos por mulheres que estão no festival

Apenas quatro filmes dirigidos por mulheres estão entre os 21 concorrentes à Palma de Ouro do Festival de Cannes, que começa nesta terça-feira (14). Como as últimas edições do evento, a 72ª deve servir de palco para discussões sobre a igualdade de gênero no cinema e a representação feminina nos festivais. Leia também: Veja os principais prêmios recebidos por mulheres em Cannes Palma de Ouro: Conheça

Quatro diretoras disputarão Palma de Ouro em Cannes

Quatro filmes dirigidos por mulheres estão entre os 18 que concorrerão à Palma de Ouro na edição deste ano do Festival de Cannes. Apesar de muito baixo, o índice representa uma melhora no histórico do evento: a única outra vez em que quatro mulheres estiveram na competição foi em 2011, quando havia 20 concorrentes. Leia também: Veja os principais prêmios recebidos por

#52FilmsByWomen de julho: Julie Dash, Amma Asante, Gina Prince-Bythewood, Ava DuVernay, Mati Diop

Eu não sou negra. Logo, os cinco filmes dirigidos por mulheres negras vistos no mês de julho para a campanha #52FilmsByWomen provavelmente não me atingiram da mesma forma que atingirão as mulheres que são negras. Os temas tratados podem ser universais - relacionamentos, morte, traição, amizade feminina -, mas sei que não vivi aquilo exatamente. O que não me impede de sentir

Top