#52FilmsByWomen de maio: Teresa Villaverde, Anocha Suwichakornpong, Moufida Tlatli, Mia Hansen-Løve, Joanna Coates

Maio foi um mês imenso, que só acabou agora, quando o Festival de Cannes enfim concedeu o prêmio de direção a uma mulher, após 56 anos: Sofia Coppola ganhou por O Estranho que Nós Amamos, um dos filmes que mais quero ver nesse ano. Maio também foi o mês em que adicionamos cinco filmes feitos por diretoras à campanha #52FilmsByWomen. O primeiro visto

#52FilmsByWomen – abril: Ildikó Enyedi, Paz Fábrega, Paula Sacchetta, Khadija al-Salami

Ao aderir à campanha #52FilmsByWomen, tive a ideia de buscar filmes dirigidos por mulheres que estivessem mais distantes da cinematografia com a qual estou mais acostumada. Quero fugir um pouco do cinema americano ou francês, por exemplo, para conhecer outras culturas e diferentes visões. Em fevereiro deste ano, a diretora húngara Ildikó Enyedi venceu o Urso de Ouro, principal prêmio do Festival de Berlim,

#52FilmsByWomen de março: Salomé Lamas, Maren Ade, Marília Rocha, Valérie Donzelli

Março foi o primeiro mês da campanha #52FilmsByWomen aqui no Mulher no Cinema. Para quem chegou agora, eu, Letícia Mendes, topei fazer parte desta iniciativa mundial e vou assistir a um filme dirigido por mulher por semana durante um ano - totalizando 52 títulos e dividindo a experiência com vocês, leitores. Após termos iniciado a campanha com a portuguesa Salomé Lamas e seu "Eldorado XXI" (foto

Começando meu #52FilmsByWomen com Salomé Lamas

Sinto-me imensamente honrada em participar da campanha #52FilmsByWomen para o Mulher no Cinema, à convite da Luísa Pécora. Ainda mais depois da amiga Beatriz Macruz, que também tanto entende do assunto e luta pela divulgação de filmes que merecem ser vistos e falados. Como jornalista, sempre me interessei mais em entrevistar atrizes do que atores, cantoras do que cantores, escritoras do que

Apoie as mulheres do cinema vendo um filme de diretora por semana

Você aceita assistir a um filme dirigido por mulher por semana durante um ano? É esta a proposta da campanha #52FilmsByWomen, lançada pelo braço de Los Angeles da organização Women in Film and Television. Mais de 11 mil pessoas já se comprometeram com a iniciativa e pelo segundo ano consecutivo o Mulher no Cinema também vai abraçar essa excelente ideia. Desta vez, escalamos a jornalista Letícia

Perguntas do cinema para as mulheres – ou vice-versa?

Há cerca de um mês, por convite do Mulher no Cinema, comecei a ver e rever filmes de diretoras semanalmente. A ideia era aderir à campanha #52FilmsByWomen (conheça mais aqui), para descobrir e divulgar o trabalho das mulheres na direção de cinema. Ao longo deste primeiro mês, assistir ao trabalho destas quatro diretoras tão diferentes, algumas vezes antagônicas, trouxe menos respostas do

Crítica: “De Cierta Manera”, único longa de Sara Gómez

De Cierta Manera começa com uma espécie de tribunal informal que descobriremos mais tarde ser um Conselho de Trabalhadores no bairro de Miraflores, no subúrbio de Havana. De repente, um corte brusco nos coloca diante da demolição de um prédio. Entram os letreiros do filme junto a outras imagens de construções e demolições, que a câmera vai aos poucos deixando

Top