#52FilmsByWomen de novembro: Naomi Foner, Lisa Langseth, Patricia Rozema, Signe Baumane

Estes foram os filmes vistos em novembro como parte da campanha #52FilmsByWomen:


Garotas Inocentes (2013), da norte-americana Naomi Foner – Esse é o único filme dirigido por ela, que é mais conhecida por produzir, escrever e por ser mãe dos atores Maggie Gyllenhaal e Jake Gyllenhaal. O filme chama a atenção por ter duas atrizes muito boas como protagonistas (Dakota Fanning e Elizabeth Olsen), com a premissa de acompanhar duas amigas durante as férias de verão. Mas é um filme bem fraco. A disputa delas pelo mesmo homem, o fato de ele ser um fotógrafo misterioso, a falta de comunicação entre elas…é tudo muito previsível e nada marcante.


Pure (2010), da sueca Lisa Langseth – A maioria das pessoas deve ter conhecido a Alicia Vikander por causa do filme Ex Machina, de 2014. Mas ela fez sua estreia no cinema quatro anos antes neste filme sueco, e a parceria entre atriz e diretora rendeu. Vikander tinha 22 anos quando interpretou a personagem Katarina, uma garota do subúrbio que é acompanhada pela assistência social por conta da mãe problemática. Ela descobre um “sentido para a vida” ao ouvir Mozart e, por acaso, consegue um emprego como recepcionista de uma sala de concertos. No entanto, é seduzida por um homem mais velho, rico, casado e maestro. Ela se apaixona por ele ao ponto da obsessão, e a forma como Vikander se transforma para retratar isso é sensacional. Fiquei curiosa para ver os dois outros filmes de Langseth com Vikander, Hotell (2013) e Euphoria (2017).


No Escuro da Floresta (2015), da canadense Patricia Rozema – Esse foi um filme muito difícil de ver no sentido de que várias coisas me incomodaram ao ponto de não conseguir “comprar” a história.

Meu principal incômodo foi com a cena de estupro. O filme se passa “num futuro próximo”, nos Estados Unidos, em que a energia elétrica desaparece. Após perderem o pai, duas irmãs, vividas por Ellen Page e Evan Rachel Wood, têm que fazer de tudo para sobreviver na casa em que vivem no meio da floresta. Então o fato de que haverá uma cena de estupro é previsível, mas a forma como ela foi filmada, em câmera lenta, foi desnecessária. Acredito que há várias maneiras de se retratar o estupro, mas não esperava essa vindo de uma diretora.

Soube apenas depois que a atriz Evan Rachel Wood foi estuprada diversas vezes pelo seu ex-companheiro e declarou que chegou a tentar se matar. Não consigo nem imaginar como foi para ela filmar No Escuro da Floresta.


Rocks in my Pockets (2014), da letã Signe Baumane – Acredito que cada vez menos os filmes de animação são considerados sinônimos de histórias alegres, fofas, com final feliz. Um dos maiores exemplos disso é esse filme.

É o primeiro longa da artista Signe Baumane, que já tinha feito vários curtas de animação antes, e aborda a sua própria luta e a história das mulheres de sua família contra a depressão e a loucura. Narrado em primeira pessoa, é visualmente impressionante e complexo, mas ao mesmo tempo bem didático em relação à saúde mental.

Baumane é uma artista que, como muitos outros, depende de bolsas e financiamento e usa o Kickstarter para conseguir concretizar seus trabalhos. Ela agora está com um segundo longa para lançar, chamado My Love Affair with Marriage, e esperamos que possamos vê-lo em breve.

+

Mais #52FilmsByWomen:
+ Outubro: 
Niki Caro, Isabel Coixet, Eliane Caffé, Cate Shortland, Andrea Arnold
+ Setembro: 
Ana Maria Hermida, Claudia Pinto Emperador, Lucy Mulloy, Hagar Ben-Asher
+ Agosto: 
Sydney Freeland, Shefali Bhushan, Elite Zexer, Leyla Bouzid
+ Julho: 
Julie Dash, Amma Asante, Gina Prince-Bythewood, Ava DuVernay, Mati Diop
+ Junho: 
Marcia Tambutti Allende, Taryn Brumfitt, Anita Leandro, Mary Mazzio
+ Maio: 
Teresa Villaverde, Anocha Suwichakornpong, Moufida Tlatli, Mia Hansen-Løve e Joanna Coates
+ Abril:
 Ildiko Enyedu, Paz Fábrega, Paula Sacchetta e Khadija al-Salami
+ Março: Salomé Lamas, Maren Ade, Marília Rocha e Valérie Donzelli


* Letícia Mendes é jornalista e aceitou nosso convite para aderir à campanha #52FilmsByWomen. Ela vai assistir a um filme dirigido por mulher toda semana durante um ano e dividir a experiência com a gente. Os títulos são revelados sempre às segundas-feiras no FacebookTwitter e Instagram. Clique aqui para saber mais.

Deixe um comentário

Top