Veja o trailer de “Rafiki”, filme proibido no Quênia

Primeiro filme queniano a ser selecionado para o Festival de Cannes, Rafiki estreia nos cinemas brasileiros em 8 de agosto. O longa-metragem é dirigido pela cineasta queniana Wanuri Kahiu e inspirado no conto intitulado Jambula Tree, da escritora ugandense Monica Arac de Nyeko.

Crítica: Proibido pelo governo do Quênia, Rafiki retrata amor entre jovens mulheres
Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e tenha acesso a conteúdo exclusivo

Após a exibição em Cannes, Rafiki foi proibido no Quênia pelo que o governo chamou de “temática homossexual e clara intenção em promover o lesbianismo”. A decisão foi além, dizendo que qualquer pessoa que portasse o filme estaria infringindo as leis do país, onde sexo gay é punido com até 14 anos de prisão. Na justiça, a diretora conseguiu que Rafiki fosse exibido por apenas sete dias.

No centro da trama estão duas garotas quenianas, Kena e Ziki, interpretadas por Samantha Mugatsia e Sheila Munyiva. Apesar da rivalidade entre suas famílias, elas tornam-se amigas e se ajudam na busca por seus sonhos. Quando a amizade vira amor, as meninas têm de enfrentar os preconceitos de uma sociedade conservadora. 

Rafiki também foi exibido na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, no Festival do Rio e na Mostra de Cinemas Africanos. A distribuição no Brasil é da Olhar.

Veja o trailer legendado de Rafiki

Deixe um comentário

Top