Emma Seligman fala sobre inspirações e desafios da comédia “Shiva Baby”

"Escreva sobre o que você conhece" é uma recomendação comum a cineastas em início de carreira, e que a roteirista e diretora canadense Emma Seligman resolveu seguir. Em Shiva Baby, seu primeiro longa-metragem, ela buscou inspiração em suas próprias experiências para contar a história de uma protagonista jovem, judia e bissexual que tenta entender seu lugar no mundo. E a

Roseanne Liang sobre dirigir filmes de ação: ‘As histórias não são binárias’

Em janeiro de 2019, um estudo da Annenberg Inclusion Initiative analisou 1,2 mil filmes que fizeram sucesso nas bilheterias americanas entre 2007 e 2018 e buscou responder à pergunta: quais tipos de histórias têm mais ou menos mulheres por trás das câmeras? Revelou-se que o drama era o gênero menos desigual: para cada 10,8 cineastas homens, havia uma cineasta mulher.

Shahrbanoo Sadat: “Cineastas afegãos devem quebrar clichês sobre o país”

Com três longas no currículo, Shahrbanoo Sadat é uma diretora em posição inusitada: ela é afegã, vive em Cabul e conta histórias sobre o Afeganistão, mas filma fora do país, com dinheiro estrangeiro e equipe europeia. Seus filmes foram mais vistos pelo público do Festival de Cannes do que por seus compatriotas, mas partem de uma perspectiva inegavelmente local. "Acredito

20 filmes dirigidos por mulheres sobre a ditadura militar

Em 2021 completam-se 57 anos do golpe de 1964, que deu início a mais de duas décadas de ditadura militar no Brasil. Neste período, o governo cancelou eleições, censurou a imprensa e atuou com brutalidade, perseguindo, prendendo, torturando e assassinando opositores. Leia também: 14 documentários nacionais recomendados por diretoras brasileiras Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e acesse conteúdo exclusivo Tema marcante do

Top