5 filmes dirigidos por mulheres para ver no Festival Varilux

Mais de 40 cidades brasileiras recebem a programação do Festival Varilux de Cinema Francês entre os dias 25 de novembro e 8 de dezembro. Em sua 12ª edição, o evento volta a ter exibições apenas nas salas de cinema e exibe 17 longas-metragens inéditos no circuito comercial brasileiro, além de dois clássicos.

Vídeo: Veja uma cena de DNA, novo filme da diretora francesa Maïwenn
Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e acesse conteúdo exclusivo

Entre as cidades confirmadas para a edição deste ano estão Aracaju (SE), Araraquara (SP), Balneário Camboriú (SC), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Botucatu (SP), Brasília (DF), Campinas (SP), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), Indaiatuba (SP), Jaboatão dos Guararapes (PE), João Pessoa (PB), Juiz de Fora (MG), Jundiaí (SP), Limeira (SP), Londrina (PR), Macaé (RJ), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (RS), Natal (RN), Niterói (RJ), Nova Friburgo (RJ), Palmas (TO), Pelotas (RS), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Santos (SP), São Carlos (SP), São José dos Campos (SP), São Luis (MA), São Paulo (SP), Sorocaba (SP), Teresina (PI), Vitória (ES), Vitória da Conquista (BA). 

Abaixo, saiba mais sobre os cinco títulos dirigidos por mulheres que estão na programação. Para consultar os locais e horários de exibição, bem como a lista completa de cidades participantes, acesse o site do festival.

*

“Um Conto de Amor e Desejo”
[Une histoire d’amour et de désir, França/Tunísia, 2021]

Ahmed é um jovem francês de origem argelina que conhece Farah, garota tunisiana que acaba de chegar à França. Após descobrir uma coletânea de literatura árabe erótica, Ahmed se apaixona por Farah, mas faz o possível para resistir ao desejo. Escrito e dirigido por Leyla Bouzid, de Assim que Abro Meus Olhos (2015).


“Enquanto Vivo”
[De son vivant, França, 2021]

Exibido no Festival de Cannes, acompanha um ano na vida de Benjamin, um homem que entra em processo de negação após ser diagnosticado com uma grave doença. Sua mãe, Crystal, sofre muito, enquanto um médico e uma enfermeira tentam ajudá-los. Estrelado por Catherine Deneuve, é o novo filme de Emmanuelle Bercot, diretora de 150 Miligramas (2016) e De Cabeça Erguida (2015) e também conhecida pelo trabalho como atriz.


“Pequena Lição de Amor”
[Petite leçon d’amour, França/Suíça, 2021]

Julie está andando pelas ruas de Paris quando de repente começa a chover. Ao ser abrigar em um café, ela encontra uma pasta com uma prova de matemática e uma desconcertante carta de amor. Ela se lança, então, uma investigação. Estrelado por Laetitia Dosch, o filme é escrito e dirigido por Ève Deboise.


“Titane”
[França/Bélgica, 2021]

Um jovem com o rosto machucado é encontrado em um aeroporto e afirma ser Adrien Legrand, uma criança que desapareceu dez anos atrás. Enquanto Adrien se reúne com seu pai, assassinatos horríveis são descobertos na região. Escrito e dirigido por Julia Ducournau, famosa pelo terror Raw (2016), foi o segundo filme dirigido por mulher da história a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes.


“A Travessia”
[La traversée, França/República Tcheca/Alemanha, 2021]

Exibido no Festival de Annecy, o mais importante da área de animação, o filme narra a dramática jornada dos irmãos Kyona e Adriel em busca de exílio. Eles fogem daqueles que os perseguem e tentam chegar a um país com um regime mais brando. Dirigido por Florence Miailhe, autora do roteiro ao lado de Marie Desplechin.

Top