5 curiosidades sobre “A Amiga Genial”

Uma das séries mais aguardadas do ano chega à televisão a cabo brasileira neste domingo (25): A Amiga Genial, adaptação da popular obra de Elena Ferrante, terá oito episódios e será exibida pela HBO Brasil sempre aos domingos e às segundas-feiras, às 22h.

Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e tenha acesso a conteúdo e prêmios exclusivos

Como o título indica, A Amiga Genial aborda apenas o primeiro livro da tetralogia napolitana (adaptações dos demais, porém, já estão nos planos dos produtores). A obra acompanha a amizade de Lila e Lenu, que crescem em um bairro pobre de Nápoles, na Itália, nos anos 1950. Inteligentes e observadoras, as garotas vivem uma intensa relação de colaboração e competição enquanto buscam ir além da realidade violenta, machista e sem perspectivas na qual estão inseridas.

Aquecendo para a estreia de A Amiga Genial, Mulher no Cinema reuniu algumas curiosidades sobre a série, que tem tudo para ser sucesso e estender a “Ferrante Fever” às telas:

1 – É a primeira série em língua não inglesa da HBO.
A emissora americana já desenvolveu outros seriados ambientados na Itália, como Roma e O Jovem Papa. Ambas, porém, eram faladas em inglês. Isso muda com A Amiga Genial, uma coprodução da HBO com a rede italiana RAI, realizada em parceria com a empresa Fandango, também italiana. As personagens da nova série não apenas falarão italiano como usarão o dialeto napolitano do livro. 

2 – Elena Ferrante participou da adaptação.
A escritora, que assina suas obras com um pseudônimo, é creditada como uma das quatro roteiristas dos oito episódios da série, ao lado de Laura Paolucci, Francesco Piccolo e do diretor Saverio Costanzo. De acordo com a imprensa internacional, ela não exatamente escreveu o roteiro, mas discutiu os textos, fez comentários e interferências, além de ter sido consultada sobre cenários e outras questões.

3 – Foram oito meses de testes para selecionar o elenco.
Na infância, Lila e Lenu serão interpretadas por Ludovica Nasti e Elisa Del Genio; na adolescência, por Gaia Girace e Margherita Mazzucco. Nenhuma delas era atriz profissional e Gaia era a única que já tinha atuado em uma peça de escola. Ferrante e Constanzo queriam que o elenco fosse da região de Nápoles, e o processo de testes durou oito meses e contou com a participação de cerca de 9 mil pessoas. A diretora de casting Laura Muccino contou ao site Vulture que eles primeiro escolheram as crianças e depois as adolescentes. “Nos apoiamos muito nas descrições de Elena Ferrante. Nossa prioridade era ser fiel a estas descrições, não apenas do ponto de vista físico, mas também do psicológico e comportamental”, afirmou. E uma curiosidade: Elena só foi descoberta pela equipe porque acompanhou o irmão aos testes de elenco. Ele queria interpretar Enzo, mas não foi selecionado.

4 – O diretor Saverio Constanzo foi uma escolha da própria Ferrante.
Muita gente questionou o fato de um cineasta homem ter sido escolhido para dirigir a série, mas o nome de Constanzo foi uma indicação da própria Ferrante. De acordo com o site Stuff, em 2007 a escritora aceitou que ele adaptasse outro romance da tetralogia, projeto que ele acabou abandonando. “Nove anos depois, ela me propôs fazer A Amiga Genial“, contou o diretor, que tem seis longas no currículo, incluindo A Solidão dos Números Primos (2010) e Hungry Hearts (2014). Na TV, dirigiu a versão italiana da série In Treatment. Ele também nunca conheceu Ferrante, e se comunica com ela por email.

5 – Esta é uma das maiores produções europeias para a TV.
Os números de A Amiga Genial são grandiosos: 150 atores, 5 mil extras, 29 semanas de filmagem e a criação de um set de 215 mil metros quadrados que levou quatro meses para ser construído e retrata a região napolitana de Rione nos anos 1950. O orçamento, porém, segue confidencial. “Mas posso dizer que foi bem grande para uma série filmada na Itália”, contou Constanzo ao Hollywood Reporter. “E isso nos deu liberdade para ser bem precisos nas reconstruções.”

Veja o trailer de A Amiga Genial:


Luísa Pécora é jornalista, criadora e editora do Mulher no Cinema

Deixe um comentário

Top