Ação é gênero favorito de 22% das mulheres que vão ao cinema nos EUA, diz pesquisa

Ação é o gênero favorito de 22% das mulheres que vão ao cinema nos Estados Unidos, de acordo com uma pesquisa encomendada pelo Fandango, site americano especializado em venda de ingressos. Saiba mais: Número de protagonistas mulheres diminuiu em 2017, diz estudo O estudo ouviu mais de 3 mil frequentadoras de salas de cinema do país para saber sobre suas preferências e

Número de protagonistas mulheres caiu em 2017, diz estudo

Mulheres representaram 24% dos protagonistas dos 100 filmes de maior bilheteria nos Estados Unidos em 2017, de acordo com estudo da San Diego State University. Trata-se de uma queda de 5 pontos em relação ao índice registrado em 2016. A pesquisa, que analisou 2.361 personagens dos 100 filmes estudados (e que excluem títulos estrangeiros), apontou que 58% dos protagonistas eram homens

Mulheres dirigem 11% das maiores bilheterias de 2017

Mulheres representaram apenas 11% de todos os diretores dos 250 filmes de maior bilheteria nos Estados Unidos em 2017, segundo estudo publicado pela San Diego State University. Embora seja um aumento de 4 pontos percentuais em relação aos 7% obtidos em 2016, o índice é igual ao registrado em 2000. Retrospectiva: A mulher no cinema em 2017, um ano para não esquecer Leia

Cinema nacional exclui mulheres negras, aponta estudo

Mulheres negras não dirigiram nem escreveram nenhum dos 142 longas-metragens brasileiros lançados nas salas do País em 2016, de acordo com o primeiro levantamento da Agência Nacional do Cinema (Ancine) a contemplar dados sobre raça. Segundo o estudo, 75,4% dos filmes analisados foram dirigidos por homens brancos, 19,7% por mulheres brancas e 2,1% por homens negros. A presença dominante de homens

Presença de diretoras em campeões de bilheteria estagnou desde 2007

Mulheres representaram apenas 7,3% dos diretores dos 100 filmes de maior bilheteria nos Estados Unidos em 2017, de acordo com estudo da Universidade do Sul da Califórnia. Embora seja um aumento em relação a 2016, quando a porcentagem ficou em 4,2%, o índice está abaixo do observado em 2008, de 8%. Retrospectiva: A mulher no cinema em 2017, um ano para

Mulheres são 42% das personagens com fala na TV americana, diz estudo

A televisão americana mostrou leve melhora no que diz respeito à igualdade de gênero e à representação de mulheres negras, asiáticas e latinas, de acordo com estudo realizado pela San Diego State University. Coordenado pela pesquisadora Martha Lauzen, o levantamento avaliou episódios escolhidos aleatoriamente de dramas, comédias e reality shows que foram exibidos na televisão aberta (ABC, CBS, NBC, Fox, CW) e

Na Alemanha, mulheres são 33% das protagonistas na TV e 42% no cinema

O primeiro grande estudo alemão sobre representação de gênero na mídia em mais de duas décadas apontou que mulheres são minoria entre os protagonistas de filmes e programas de televisão - especialmente as que têm mais de 30 anos. A pesquisa, desenvolvida pela Universidade de Rostock e publicada em julho, foi uma iniciativa da atriz Maria Furtwangler (foto). Foram analisadas mais de 3 mil horas

Mulheres dominaram plateias de três dos cinco filmes mais lucrativos de 2016

Mulheres formaram a maior parte da plateia de três dos cinco filmes mais lucrativos de 2016 nos EUA e Canadá. A informação é do relatório da Motion Picture Association of America (MPAA), que representa os estúdios americanos. De acordo com o relatório, mulheres representaram 55% do público de Procurando Dory, o líder do ranking de 2016, e também foram maioria nas plateias

Número de protagonistas mulheres cresce em 2016

Mulheres representaram 29% dos protagonistas dos 100 filmes de maior bilheteria nos Estados Unidos em 2016, apontou estudo da San Diego State University. Trata-se de um aumento de sete pontos percentuais em relação a 2015 e de um recorde desde que a pesquisa começou a ser feita, em 2002. O estudo avaliou 2.595 personagens que apareceram nos 100 filmes estudados (e que excluem títulos estrangeiros). Na análise de

Diversidade em Hollywood estagnou na última década, aponta estudo

Um estudo mostrou que o debate sobre diversidade em Hollywood ainda precisa surtir efeito prático: dados sobre gênero e raça dos diretores dos filmes de maior bilheteria não sofreram alterações significativas na comparação entre 2007 e 2016. Realizada pela Universidade do Sul da Califórnia, a pesquisa analisou os 100 longas-metragens mais lucrativos nos Estados Unidos anualmente na última década. Dos 1.114 cineastas responsáveis por

Top