Bette Gordon fala sobre “Variety” e desigualdade “abominável” na direção

Não é difícil entender porque Variety, o segundo longa-metragem da cineasta americana Bette Gordon, tornou-se um marco do cinema feminista quando chegou às telas, em 1983. Ao contar a história de Christine, funcionária de uma sala pornô que passa a seguir e observar um cliente de forma obsessiva, o filme ofereceu algo inovador: o ponto de vista de uma mulher

Seis filmes dirigidos por mulheres para ver na repescagem da Mostra

Oficialmente, a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo acabou nesta quarta-feira (2). Mas ainda dá para curtir alguns filmes na tradicional repescagem, que fica em cartaz na capital paulista entre os dias 3 e 9 de novembro. Leia também: Veja todas as mulheres premiadas na Mostra de Cinema de SP A programação extra tem seis filmes dirigidos por mulheres, inclusive os premiados Era o

Veja as mulheres premiadas na Mostra de Cinema de SP

Eliane Caffé, Camila Pitanga e Cristiane Oliveira foram premiadas na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que encerrou sua 40ª edição nesta quarta-feira (2). Os troféus foram entregues em cerimônia no Parque do Ibirapuera. O júri formado por Bette Gordon, Jeferson De, Nicolas Klotz, Peter Brosens, Lita Stantic e Vasco Pimentel escolheu El Amparo, do diretor Rober Calzadilla, como o

Marina Person: “Cada filme dirigido por uma mulher abre caminho para outra”

Desde que o público conheceu Marina Person, em meados da década de 1990, seu nome sempre esteve associado ao cinema. Primeiro, como filha de cineastas e apresentadora do Cine MTV; depois, à frente de outros programas na TV e no rádio; e finalmente como diretora, após o lançamento de Califórnia (2015), seu primeiro longa-metragem de ficção. Agora, a ideia é estreitar os laços

Mostra de Cinema de SP exibe três filmes da diretora americana Bette Gordon

Importante nome do cinema independente, a diretora americana Bette Gordon ganhou uma miniretrospectiva na edição deste ano da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. O festival, que fica em cartaz até 2 de novembro, exibirá três filmes da cineasta, que também fará parte do júri. Mais sobre a Mostra: Veja todos os filmes dirigidos por mulheres que estão na programação Nascida em

Emilia Ferreira fala sobre estreia na direção e equipe de mulheres

Treze anos após se mudar para os Estados Unidos, a diretora mineira Emilia Ferreira volta ao Brasil para mostrar seu primeiro longa-metragem, Entrelinhas. O filme, que está na competição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, é o resultado da vontade de fazer cinema que começou em Belo Horizonte, mas floresceu no exterior. "É um pouco a coisa do sonho americano", explica a

7 motivos para ver “Mercado de Capitais”

"Eu gosto de dinheiro. Fico realmente satisfeita com o fato de que finalmente as mulheres podem falar abertamente sobre ambição. Dinheiro não tem de ser uma palavra feia. Podemos gostar dele." Esta declaração, feita logo no começo de Mercado de Capitais, dá o tom do que o espectador encontrará pela frente: um filme sobre Wall Street que coloca as mulheres no centro da

Top