Armênia seleciona “Eva”, de Anahid Abad, como candidato ao Oscar

Dirigido pela cineasta Anahid Abad, Eva será o candidato oficial da Armênia a uma indicação inédita ao Oscar de filme estrangeiro. O longa é uma coprodução com o Irã e conta a história de uma mulher que busca deixar seu traumático passado para trás. Por isso, foge com sua filha da capital da Armênia, Erevan, para o vilarejo de Artsakh. Concorrer ao Oscar

Afeganistão escolhe filme de Roya Sadat como candidato ao Oscar

A Letter to the President, dirigido pela cineasta Roya Sadat, foi escolhido como o candidato oficial do Afeganistão no Oscar. O longa buscará uma inédita indicação para o país na categoria de filme estrangeiro. O drama é centrado em Soraya (Leena Alam), presa por lutar contra punições brutais para mulheres baseadas em regras tribais. Sua única chance de libertação e sobrevivência é um

Cingapura escolhe “Pop Aye”, de Kirsten Tan, como candidato ao Oscar

Ganhador de um prêmio especial do júri no Festival de Sundance, Pop Aye, dirigido pela cineasta Kirsten Tan, foi escolhido para representar Cingapura na busca pelo Oscar de filme estrangeiro. O longa é ambientado na Tailândia e acompanha um arquiteto que se reencontra com um elefante que foi seu na infância. Junto com ele, parte em uma espécie de road trip

Panamá escolhe filme de Arianne Benedetti como candidato ao Oscar

O primeiro longa-metragem da diretora Arianne Benedetti, Más que Hermanos, foi escolhido para representar o Panamá na busca por uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. A cineasta também assina o roteiro e atua na produção. Más que Hermanos conta a história de sobrevivência de um casal de irmãos que, após perderem seus pais, preferem viver nas ruas do que serem separados.

Irã escolhe filme da diretora Narges Abyar como candidato ao Oscar

Dirigido por Narges Abyar, Breath será o candidato do Irã ao Oscar de filme estrangeiro. O país foi o ganhador da categoria neste ano com O Apartamento (2016), de Asghar Farhadi, que também recebeu a estatueta por A Separação (2011). Breath narra a revolução iraniana do final da década de 1970 (que levou à queda do Xá Mohammad Reza Pahlevi e à

“Alba”, de Ana Cristina Barragán, será candidato do Equador ao Oscar

Dirigido por Ana Cristina Barragán e exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo do ano passado, Alba será o representante do Equador na disputa pelo Oscar de filme estrangeiro. O filme acompanha Alba, uma garota de 11 anos que passa a viver com o pai, Igor, depois de sua mãe ser internada. Sua entrada na adolescência é marcada pelos esforços

Documentário de Hui-Chen Huang vai representar Taiwan no Oscar

Ganhador do Teddy Award de melhor documentário no Festival de Berlim, Small Talk, dirigido por Hui-Chen Huang, será o representante de Taiwan na disputa pelo Oscar de filme estrangeiro. O longa também está confirmado na programação do Festival do Rio, que será realizado em outubro. Small Talk retrata a relação da diretora com sua mãe, A-nu. Depois de se casar jovem

“Barreiras”, de Laura Schroeder, vai representar Luxemburgo no Oscar

Exibido em Berlim e no Festival do Rio, Barreiras, dirigido por Laura Schroeder, será o candidato oficial de Luxemburgo na busca por uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. O longa estreia no Brasil em 23 de novembro. Saiba mais: Veja as mulheres que disputam indicação ao Oscar de filme estrangeiro Em Barreiras, Catherine retorna a Luxemburgo após uma década vivendo na Suíça,

Filme de Mijke de Jong vai representar a Holanda no Oscar

Exibido no Festival de Toronto e comprado pela Netflix, Layla M., dirigido por Mijke de Jong, foi escolhido como o candidato da Holanda na busca por uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. A personagem-título é uma jovem holandesa de origem marroquina que se une a radicais islâmicos após medidas anti-muçulmanos na Holanda. Depois de se casar com um jihadista e

Primeiro longa de Carla Simón vai representar a Espanha no Oscar

Summer 1993, primeiro longa-metragem da diretora Carla Simón, foi escolhido como o representante oficial da Espanha na busca por uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. Exibido e duas vezes premiado na mostra Generation Kplus do Festival de Berlim, o filme é ambientado na Catalunha em 1993 e acompanha uma garota de seis anos que vai morar com o tio após a

Top