Bárbara Paz sobre “Babenco”, candidato do Brasil ao Oscar: “Fiz um filme de amor”

Carta de amor, poema visual, filme-despedida. Estas são algumas das definições dadas por Bárbara Paz a Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, premiado documentário que está em cartaz nos cinemas e vai representar o Brasil na busca por uma indicação ao Oscar de filme internacional. As definições da diretora apontam para o caráter extremamente pessoal

Dirigido por Bárbara Paz, “Babenco” é o candidato do Brasil ao Oscar

Dirigido por Bárbara Paz, Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou será o candidato do Brasil a uma indicação ao Oscar de filme internacional em 2021. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (18) pela Academia Brasileira de Cinema, responsável pela decisão desde 2017. Entrevista: “Sempre haverá um jeito de fazer cinema”, diz Sandra Kogut Saiba mais: Todas as mulheres que disputaram o

Filme da diretora Malgorzata Szumowska vai representar a Polônia no Oscar

A Polônia tornou-se o primeiro país a indicar seu representante na disputa por uma indicação ao Oscar de filme internacional de 2021. E o escolhido foi um longa codirigido por mulher: Never Gonna Snow Again, de Malgorzata Szumowska e Michal Englert, que fará sua estreia mundial em setembro no Festival de Veneza. Leia também: Os longas dirigidos por mulheres que disputaram o Oscar

Tamara Kotevska: conheça a única mulher indicada ao Oscar de filme internacional

Aquecendo os motores para o Oscar 2020, que ocorre em 9 de fevereiro, o Mulher no Cinema vai publicar, diariamente, um breve perfil de todas as profissionais indicadas em cada uma das categorias. Oscar 2020: Confira a lista completa com todas as mulheres indicadas Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e acesse conteúdo exclusivo Já falamos sobre as mulheres que concorrem a melhor filme, atriz, atriz coadjuvante, roteiro original, roteiro adaptado, animação e

Duas diretoras seguem na disputa pelo Oscar de filme internacional

Apenas dois longas dirigidos por mulheres estão entre os dez semifinalistas que seguem na disputa pelo Oscar de melhor filme internacional, novo nome da categoria que antes era conhecida como "melhor filme estrangeiro". São eles Atlantique, de Mati Diop, representando o Senegal; e Honeyland, de Tamara Kotevska e Ljubo Stefanov, representando a Macedônia do Norte. Saiba mais: Veja as diretoras que já concorreram ao Oscar de

‘México tem histórias incríveis a cada esquina’, diz diretora de ‘A Camareira’

Em 1981, a fotógrafa e artista plástica francesa Sophie Calle passou três meses trabalhando como camareira em um hotel de Veneza, na Itália. O resultado da experiência foi o livro Hotel, no qual tirou fotografias de roupas, objetos e lixo deixados pelos hóspedes para imaginar quem eram aquelas pessoas e que tipo de vida levavam. Este livro é a grande inspiração

Mulheres dirigiram 30% dos candidatos ao Oscar de filme internacional

Mulheres dirigiram 28 dos 93 longas que concorrem a uma indicação ao Oscar de melhor filme internacional, novo nome da categoria que antes era conhecida como "melhor filme estrangeiro". O índice de concorrentes dirigidos por mulheres é de 30,1%, de acordo com levantamento feito pelo Mulher no Cinema a partir da lista divulgada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável

“A Vida Invisível” é o candidato do Brasil ao Oscar de filme estrangeiro

Ganhador da mostra Um Certo Olhar no último Festival de Cannes, A Vida Invisível será o candidato do Brasil a uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro em 2020. O longa é dirigido pelo cineasta Karim Aïnouz e estrelado pelas atrizes Carol Duarte e Julia Stockler. Leia também: Veja todas as diretoras que concorreram ao Oscar de filme estrangeiro Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e tenha acesso

Três filmes dirigidos por mulheres concorrem à indicação brasileira ao Oscar

Mulheres dirigiram três dos 12 longas-metragens inscritos na disputa para ser o candidato do Brasil ao Oscar de filme estrangeiro. A lista de concorrentes foi divulgada nesta segunda-feira (19) pela Secretaria do Audiovisual e o título escolhido será anunciado no dia 27 de agosto. Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e tenha acesso a conteúdo exclusivo Inscreva-se: Curso “Mulheres no Cinema” abre inscrições para nova edição

Dirigido por Mounia Meddour, “Papicha” vai representar a Argélia no Oscar

A Argélia tornou-se o primeiro país a indicar seu representante na disputa por uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro de 2020. E o escolhido foi um longa dirigido por mulher: Papicha, de Mounia Meddour. Leia também: Os longas dirigidos por mulheres que disputaram o Oscar de melhor filme Saiba mais: Todas as mulheres que já foram indicadas ao Oscar de melhor direção Apoie: Colabore

Top