Veja o discurso de Michaela Coel no Emmy – e leia a íntegra em português

Michaela Coel finalmente subiu ao palco de uma grande premiação televisionada para receber um prêmio por I May Destroy You, aclamada série que escreveu, codirigiu, produziu e protagonizou. Neste domingo (19), a artista inglesa recebeu o Emmy de melhor roteiro de minissérie, antologia ou filme para a televisão, numa vitória muito aplaudida pela plateia presente e comemorada nas redes sociais.

Leia também: Pela primeira vez, diretoras vencem Emmy de drama e comédia
Emmy 2021: Veja as mulheres premiadas nas principais categorias
Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema acesse conteúdo exclusivo

Foi o único troféu que I May Destroy You recebeu durante a cerimônia do Emmy, embora a série também tenha recebido, anteriormente, o de supervisão musical. No total, o programa estava indicado a nove prêmios, e a vitória de Coel como roteirista representou a primeira de uma mulher negra na categoria.

Embora tenha sido uma das séries mais elogiadas por público e crítica nos últimos doze meses, I May Destroy You foi completamente ignorada pelo Globo de Ouro e recebeu apenas uma indicação ao prêmio do Sindicato dos Atores. Na minissérie, Coel partiu de uma experiência pessoal de abuso sexual para construir uma história que aborda temas urgentes – incluindo consentimento, trauma, racismo e homofobia – de forma complexa e a partir de personagens cheios de nuance.

No Emmy, Coel estimulou roteiristas a escrevem histórias “que dão medos e incertezas, que não são confortáveis”. Abaixo, assista ao discurso e leia a tradução para o português.

“Obrigada. Muito obrigada. Obrigada aos membros da Academia da Televisão. Vocês estão me ouvindo? Ok, muito obrigada.

Escrevi uma coisinha, na verdade para os roteiristas. Escreva a história que te dá medo, que te dá incertezas, que não é confortável. Eu te desafio. Em um mundo que nos seduz a navegar pela vida de outras pessoas para que possamos determinar melhor como nos sentimos sobre nós mesmos, e a sentir a necessidade de estarmos constantemente visíveis, pois hoje em dia visibilidade parece ser sinônimo de sucesso, não tenha medo de desaparecer – do mundo e de nós, por um tempo, e ver o que vem até você no silêncio.

Obrigada a Casey Bloys, Amy Gravitt, Piers Wenger e à Various Artists Limited, por dois dos melhores anos da minha vida.

Dedico essa história a toda pessoa sobrevivente de abuso sexual. Obrigada.”


Foto: Cliff Lipson/CBS via Getty Images

Top