Oscar 2016: as mulheres que produziram os indicados a melhor filme

Aquecendo os motores para o Oscar 2016, que ocorre em 28 de fevereiro, Mulher no Cinema vai publicar, diariamente, um breve perfil das profissionais femininas indicadas em cada categoria.

Começamos pelo prêmio principal: melhor filme. Dos oito longas indicados, cinco têm ao menos uma mulher no time de produtores. Mas só um foi produzido exclusivamente por mulheres: “Brooklin”

Conheça as indicadas:

Amanda PoseyAmanda Posey, por “Brooklin”
Produtora britânica, trabalhou como supervisora de pós-produção e liderou o departamento de cinema da Scala Productions. Em 1993 fundou a Wildgaze Films em parceria com Finola Dwyer (leia abaixo). Além de “Brooklin”, a dupla foi indicada ao Oscar em 2010, quando “Educação” disputou melhor filme. Outros trabalhos: “Febre de Bola”, “Uma Longa Queda”.

Finola DwyerFinola Dwyer, por “Brooklin”
Nasceu na Nova Zelândia, onde começou a carreira como montadora e, depois, passou para a produção. Mudou-se para o Reino Unido no início dos anos 1990 e fundou a Wildgaze Films ao lado de Amanda Posey. Também produziu para o teatro e para a TV e foi indicada ao Oscar em 2010 por “Educação”. Outros trabalhos: “Sem Perdão”, “Mutilados”, “Stoned”, “O Quarteto”.

Dede GardnerDede Gardner, por “A Grande Aposta”
Americana, é co-presidente da Plan B Entertainment, produtora criada por Brad Pitt. Antes, foi executiva da Paramount. Ganhou o Oscar em 2014, quando “12 Anos de Escravidão” foi escolhido melhor filme. Também recebeu indicações por “A Árvore da Vida” (2012) e “Selma” (2014). Outros trabalhos: “O Preço da Coragem”, “Comer, Rezar, Amar”, “Guerra Mundial Z”.

Captura de Tela 2016-02-16 às 00.38.47Kristie Macosko Krieger, por “Ponte dos Espiões”
Americana, tem parceria de longa data com Steven Spielberg, que dirigiu “Ponte de Espiões”. Começou a trabalhar na DreamWorks, hoje Amblin Partners, em 1997. Antes, foi chefe de publicidade global na USC Shoah Foundation. Esta é sua primeira indicação ao Oscar. Outros trabalhos: “Cavalo de Guerra”, “Lincoln”.

Mary ParentMary Parent, por “O Regresso”
Produtora americana, nasceu em 1968. É fundadora da Disruption Entertainment, criada em 2011. Antes disso, trabalhou na New Line Cinema e teve cargos de chefia nos estúdios MGM e Universal Pictures. Esta é a primeira vez que ela disputa a estatueta. Outros trabalhos: “Círculo de Fogo”, “Noé”, “Godzilla”, “Bob Esponja: Um Herói Fora d’Água”.

Blye Pagon FaustBlye Pagon Faust, por “Spotlight – Segredos Revelados”
Americana, desde 2009 comanda a Rocklin/Faust em parceria com Nicole Rocklin (leia abaixo). Formada em direito, trabalhou como advogada antes de entrar para o cinema, começando a carreira como atriz. Esta é sua primeira indicação ao Oscar. Na televisão, foi uma das responsáveis pelo programa “The Queen Latifah Show”.

Nicole RocklinNicole Rocklin, por “Spotlight – Segredos Revelados”
Produtora americana, trabalhou como advogada antes de começar a carreira no cinema, primeiro na Jerry Bruckheimer Films e, depois, em sua própria produtora. Desde 2009, mantém a Rocklin/Faust com Nicole Rocklin. Está disputando o Oscar pela primeira vez. Outros trabalhos: “Middle of Nowhere” e “The Perfect Guy”.

4 thoughts on “Oscar 2016: as mulheres que produziram os indicados a melhor filme

Deixe um comentário

Top