Aos 90 anos, montadora Anne V. Coates recebe Oscar honorário

A montadora Anne V. Coates foi a única mulher entre os quatro artistas que receberam Oscars honorários neste ano. Os prêmios, escolhidos em votação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, foram entregues neste sábado (12). Durante a cerimônia, Coates foi chamada de "pioneira" pela atriz Nicole Kidman. "Ela não é apenas uma grande montadora mulher, ela é uma grande, grande montadora.

Brasil escolhe “Pequeno Segredo” como candidato ao Oscar

"Pequeno Segredo", de David Schurmann, foi escolhido como candidato do Brasil ao Oscar de filme estrangeiro. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (12) pela comissão do Ministério da Cultura responsável pela decisão. O filme conta a história de Kat, uma menina portadora do vírus HIV que foi adotada durante uma viagem pela família Schurmann, da qual o diretor faz parte, e que foi

Espanha escolhe “Julieta” como candidato ao Oscar

Julieta, de Pedro Almodóvar, será o candidato da Espanha a uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. Estrelado pela atrizes Emma Suárez e Adriana Ugarte, o longa é baseado em três contos da escritora canadense Alice Munro, premiada com o Nobel de Literatura. Julieta é uma mulher que vive em Madri com a filha, Antía. Quando completa dezoito anos, a menina abandona a mãe

Editora de “Lawrence da Arábia”, Anne V. Coates receberá Oscar honorário

A montadora Anne V. Coates é a única mulher entre os quatro artistas que receberão Oscars honorários neste ano. Os prêmios foram definidos nesta semana, após uma votação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Os troféus honorários são entregues anualmente a artistas cujas carreiras representaram contribuição excepcional ao cinema, funcionando como um prêmio pelo conjunto da obra. 20325

Alemanha escolhe “Toni Erdmann” como candidato ao Oscar

Como era de se esperar, a Alemanha escolheu Toni Erdmann como seu candidato ao Oscar de filme estrangeiro. O longa dirigido por Maren Ade participou da competição do Festival de Cannes e foi muito elogiado pela crítica internacional. Leia mais: Conheça Maren Ade, a diretora que brilhou em Cannes A comédia, ainda inédita no Brasil, também entrou para a lista da BBC de 100

Anna Muylaert: “Sofri muitos boicotes e rasteiras machistas”

  Sucesso de bilheteria, prêmios internacionais, pré-indicação ao Oscar, convite para integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Um ano depois da estreia de Que Horas Ela Volta?, uma coisa é certa: tanto no Brasil quanto no mundo, hoje muito mais gente conhece Anna Muylaert. Há quase três décadas trabalhando com cinema, a diretora sabe que nada aconteceu de repente. Mas

Top