O que é “inclusion rider”, conceito citado por Frances McDormand no Oscar?

Em seu excelente discurso no Oscar 2018, Frances McDormand disse que queria deixar duas palavras com os presentes: “inclusion rider”. Mas o que significa esse conceito?

Saiba mais: Leia o discurso de Frances McDormand no Oscar – na íntegra e em português
Análise: 
Para mulheres, Oscar dá final amargo à temporada de prêmios eletrizante
Leia também:
 Com Daniela Vega, Uma Mulher Fantástica leva Oscar de filme estrangeiro

Em tradução livre, inclusion rider, também conhecido como equity clause, seria algo como “cláusula de inclusão”. Funciona como uma cláusula que estrelas de cinema colocam em seus contratos para exigir que a equipe do filme atinja determinado nível de diversidade. Em outras palavras, atrizes e atores com grande poder de negociação condicionam sua participação em um projeto à inclusão de mais indivíduos de grupos pouco representados (mulheres, negros, gays, lésbicas, bissexuais, pessoas trans, indígenas etc) na equipe e/ou elenco do filme.

O conceito foi criado por Stacy Smith, uma das principais pesquisadoras sobre a participação feminina no cinema, que é fundadora da Iniciativa de Inclusão Annenberg da Universidade do Sul da Califórnia.

Smith apresentou o conceito em uma popular palestra da série TED Talks em 2016. O trabalho que faz na Universidade do Sul da Califórnia também é bastante conhecido, mas não está claro como a atriz entrou em contato com o assunto. Em entrevista ao The Guardian, a pesquisadora disse ter ficado totalmente surpresa ao assistir ao discurso.

Veja a palestra de Stacy Smith na qual menciona o “inclusion rider” (em inglês):

Deixe um comentário

Top