Jennifer Kent é única mulher na competição de Veneza

Apenas um filme dirigido por mulher está entre os 21 títulos que competirão pelo Leão de Ouro na edição deste ano do Festival de Veneza, que começa em 29 de agosto. Trata-se do longa The Nightingale, novo trabalho da diretora australiana Jennifer Kent, conhecida pelo ótimo terror O Babadook.

Leia também: Mulheres são 50% do comitê de seleção da Quinzena dos Realizadores de Cannes
Saiba mais: Diretores de Cannes prometem buscar transparência e igualdade de gênero

É o segundo ano consecutivo que o festival tem apenas um filme dirigido por mulher entre os 21 competidores. Ao comentar o line-up, anunciado na quarta-feira (25), o diretor do evento, Alberto Barbera, afirmou: “A meu ver, colocar outro filme na competição só porque é feito por uma mulher seria uma grande ofensa à cineasta. Prefiro mudar de trabalho do que ser forçado a selecionar um filme apenas porque é feito por uma mulher e não pela qualidade do filme em si.”

De acordo com o Hollywood Reporter, o italiano disse que cerca de um terço dos filmes submetidos ao comitê de seleção eram dirigidos por mulheres. E ao contrário da direção do Festival de Cannes, que assinou um compromisso para buscar mais diversidade, Barbera disse que a mudança tem de vir da própria indústria e que Veneza “não pode fazer nada”.

“É claro que eu ficaria feliz em ter mais mulheres no festival, mas isso não depende de mim”, afirmou. “O problema é que ainda existe muito preconceito na indústria e as coisas precisam mudar. E acho que vão mudar. É claro que leva tempo, mas mais cedo ou mais tarde todo mundo vai perceber que as mulheres diretoras são tão boas e criativas quanto seus colegas homens. Mas isso precisa mudar no começo da engrenagem, não no fim […] É preciso dar às mulheres as mesmas possibilidades que são dadas aos homens, mas isto não está nas nossas mãos. O Festival de Veneza não pode fazer nada em relação a isso. Não cabe a nós mudar a situação.”

Filmes dirigidos por mulheres selecionados para mostrar paralelas incluem Les Estivants, de Valeria Bruni Tedeschi; Charlie Says, de Mary Harron; e o brasileiro Domingo, de Clara Linhart e Fellipe Barbosa.


Foto: Bob Chamberlin/Los Angeles Times

Deixe um comentário

Top