Viola Davis lidera elenco de “As Viúvas”, filme escrito por Gillian Flynn

A atriz Viola Davis lidera um elenco talentoso e numeroso em As Viúvas, filme dirigido por Steve McQueen (de Shame e 12 Anos de Escravidão) que já está em cartaz nos cinemas. A parceria entre Davis e McQueen já seria suficiente para justificar o forte hype que envolveu a produção desde os primeiros anúncios, mas há ainda um terceiro nome bastante badalado: Gillian Flynn, autora de best-sellers como Garota Exemplar e Objetos Cortantes, é quem assina o roteiro, em colaboração com o diretor.

Estreias da semana: Veja os filmes escritos, dirigidos e estrelados por mulheres em cartaz
Apoie: Colabore com o Mulher no Cinema e tenha acesso a conteúdo e prêmios exclusivos

Flynn e McQueen basearam-se em uma série criada por Lynda La Plante e exibida na televisão britânica nos anos 1980. Na nova versão, a trama se passa na cidade americana de Chicago e começa com a morte do grupo de criminosos liderados por Harry Rawlings (Liam Neeson). A explosão que tira a vida dos quatro homens também queima US$ 2 milhões que pertenciam a Jamal Manning (Brian Tyree Henry), candidato em uma eleição local e fortemente envolvido com a rede criminosa da cidade.

Determinado a reaver o dinheiro, ele ameaça Veronica (Davis), a viúva de Rawlings: ou ela paga a quantia que lhe foi roubada ou terá de enfrentar as consequências. Veronica trabalha no sindicato dos professores e nada tinha a ver com os negócios do marido, mas segue pistas deixadas por ele até chegar a um caderno com todos os detalhes sobre o que seria seu próximo golpe. Diante da possibilidade de conseguir mais que o dobro do que deve, ela decide pôr em prática o plano do marido. Para isso, recruta as outras três viúvas, conseguindo o apoio de duas delas: Alice (Elizabeth Debicki) e Linda (Michelle Rodriguez). Mais tarde, o time será reforçado por Belle (Cynthia Erivo), jovem que cumpre tripla jornada como cabeleireira, babá e mãe.

Embora as viúvas estejam no centro e no título do filme, a trama demora a de fato se concentrar nas quatro protagonistas. Na verdade, nunca o faz totalmente, já que o golpe se realiza em paralelo à disputa eleitoral entre Manning e Jack Mulligan (Colin Farrell), integrante da família que há décadas domina a política local. Isso significa que As Viúvas se divide entre múltiplos personagens, e que a personagem de Rodriguez, por exemplo, ganha espaço igual ou menor do que o dado ao irmão de Manning (Daniel Kaluuya), ao pai de Mulligan (Robert DuVall) ou à mãe de Amanda (Jackie Weaver).

O elenco é de alto nível, com destaque para Davis, perfeita no papel de uma mulher marcada por tragédias, mas também para Debicki, que confirma o talento mostrado em O Conto (2018). Mas com tantas histórias e personagens disputando a atenção do espectador, é difícil se envolver de fato com qualquer um deles. Muda-se de um núcleo para outro sem que isso confira bom ritmo ao filme, que ainda reserva espaço para flashbacks sobre o passado de Veronica e as reviravoltas que marcam o trabalho de Flynn.

A dupla de roteiristas parece ter se esforçado para alcançar um equilíbrio entre o filme-pipoca e o filme-mensagem. Embora siga algumas regras do gênero conhecido como heist movieAs Viúvas é menos divertido e bem mais melancólico do que um longa como Oito Mulheres e um Segredo (2018), por exemplo. É, também, um filme mais inteligente, que toca em questões como trauma, desigualdade racial e violência policial, mas sem a mesma contundência de outros trabalhos do próprio McQueen. Em meio aos vários tons e personagens, As Viúvas é um filme difícil de definir, que tem bons momentos, mas não chega tão longe quanto poderia.

*

Este filme passa no teste de Bechdel-Wallace. Clique para saber mais.“As Viúvas”
[EUA/Reino Unido, 2018]
Direção: Steve McQueen
Elenco: Viola Davis, Michelle Rodriguez, Elizabeth Debicki.
Duração: 129 minutos


Luísa Pécora é jornalista, criadora e editora do Mulher no Cinema

Deixe um comentário

Top