CherryPicks reunirá críticas escritas por mulheres

Uma alternativa ao Rotten Tomatoes só com críticas escritas por mulheres. É esta a proposta do CherryPicks, um novo site especializado americano para agregar resenhas relacionadas a cinema, televisão e música.

Anunciada durante o festival South by Southwest, a iniciativa foi criada pela diretora, produtora e atriz Miranda Bailey e pela autora e produtora Rebecca Odes. O objetivo é promover a igualdade de gênero no entretenimento também a partir da crítica: “Como podemos mudar o que os consumidores consideram ser conteúdo de qualidade se os críticos que dizem a eles o que devem querer são predominantemente homens brancos e mais velhos?”, perguntou Bailey, em comunicado.

Estudo: Homens dominam crítica cinematográfica dos Estados Unidos
Leia também: Mulheres críticas de cinema do Brasil formam o coletivo Elviras
Saiba mais: “Precisamos de mais mulheres na crítica”, diz Jessica Chastain

De fato, um estudo de 2016 da Universidade de San Diego mostrou que 73% dos críticos classificados como “top” pelo Rotten Tomatoes são homens. A presença masculina é maior em todos os cargos (colaboradores, freelancers, críticos e redatores) e em todo tipo de veículo (publicações de mercado, jornais, revistas e sites de interesse geral e sobre cinema e entretenimento). Diante desse cenário, artistas como Jessica Chastain se manifestaram publicamente sobre a necessidade de ampliar o espaço das mulheres no setor – algo que também tem sido discutido no Brasil e que motivou a criação do Elviras, coletivo de críticas de cinema da qual o Mulher no Cinema faz parte.

Com lançamento previsto para este ano, o CherryPicks terá conteúdo original como podcasts, entrevistas e listas, além de agregar as críticas escritas por mulheres. Da mesma forma que o Rotten Tomatoes usa “fresh” (fresco) para filmes bem avaliados e “rotten” (podre) para os que não agradam, também o novo site terá um sistema de avaliação.

“Bowl of Cherries”, ou tigela de cerejas, será para filmes, programas de televisão e lançamentos musicais “ótimos, que todos devem conhecer”. “Pair of Cherries”, ou par de cerejas, significará “bom e recomendado”. “Single Cherry”, ou cereja única, será para conteúdo artístico que provocou reação mista (“pode ser que você goste ou não”, define o comunicado). E “The Pits”, expressão usada para situações ruins, será atribuído àquilo que receber avaliações majoritariamente negativas.

Além disso, o serviço também terá um selo próprio, o Cherry Check TM, uma espécie de expansão do Teste de Bechdel Wallace que vai “avaliar filmes de acordo com a representação feminina em frente e por trás das câmeras, além de fazer outras considerações de conteúdo relevantes para as mulheres”.

Por enquanto, o CherryPicks já está disponível no formato de newsletter, que foi enviada pela primeira vez na semana passada. A edição de estreia trouxe entrevistas com a crítica de música do NPR, Ann Powers, e com a presidente da Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, Claudia Puig, além de links para quatro textos sobre lançamentos musicais e cinematográficos. Para receber a newsletter, escrita em inglês, inscreva-se no site do CherryPicks.


Com informações da IndieWire

Deixe um comentário

Top