Cate Blanchett: a versatilidade da atriz australiana em filmes para ver no streaming

Ela já interpretou a atriz Katharine Hepburn, a rainha Elizabeth 1ª e o cantor Bob Dylan. Já encarou a missão de dar vida a 13 personagens diferentes em um mesmo filme. Já protagonizou dramas independentes e atuou em blockbusters da Marvel. Já brilhou nos palcos, no cinema e na televisão. Já presidiu o júri do festival mais importante do mundo e já ganhou duas vezes o maior prêmio de Hollywood.

Leia também: 10 filmes que você não sabia que tinham mulheres na montagem
Saiba mais: Veja sugestões de filmes para assistir no streaming do Telecine

Se uma só palavra pudesse definir a carreira de Cate Blanchett, esta palavra provavelmente seria versatilidade. A atriz australiana de 51 anos conquistou a plateia internacional transitando entre o cinema comercial e independente e participando de filmes de diferentes gêneros. Numa trajetória cinematográfica de quase três décadas, mudou tanto de visual que “camaleoa” também se tornou uma palavra associada ao seu trabalho. 

Nascida na cidade de Melbourne em 14 de maio de 1969, Catherine Elise Blanchett começou a carreira nos anos 1990. Depois de trabalhar como figurante durante uma viagem ao Egito, em 1992 ela se formou no Instituto Nacional de Artes Dramáticas de Sidney. No mesmo ano, atuou profissionalmente em uma montagem de Oleanna, de David Mamet, feita pela Companhia de Teatro de Sidney.

Logo neste início de carreira, Blanchett já começou a se dividir entre os palcos, o cinema e a TV, atuando, por exemplo, em séries como Police Rescue (1994) e Heartland (1994). Na telona, fez papéis coadjuvantes em filmes como Um Canto de Esperança (1997), de Bruce Beresford, mas chamou a atenção de verdade com Oscar e Lucinda (1997), dirigido pela também australiana Gilliam Armstrong. 

O reconhecimento aumentou no ano seguinte com Elizabeth (1998), de Shekhar Kapur, que lhe rendeu a primeira indicação ao Oscar. Quem ganhou foi Gwyneth Paltrow, por Shakespeare Apaixonado, mas a brasileira Fernanda Montenegro, que também estava indicada (por Central do Brasil), disse à TV Globo que teria dado o prêmio à “extraordinária” Blanchett.

O sucesso da atriz australiana ganhou nova proporção quando assumiu o papel de Galadriel na trilogia O Senhor dos Anéis (2001-2003), dirigida por Peter Jackson. Anos depois, ela repetiria a personagem em outros três filmes de Jackson inspirados na obra de J.R.R. Tolkien: O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (2012), O Hobbit: A Desolação de Smaug (2013) e O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (2014).

Muito requisitada, Blanchett se mostrou também muito prolífica: de 1999 a 2004, lançou 19 filmes – uma média de quase quatro por ano. Foi em 2005 que ela ganhou o primeiro Oscar, pelo trabalho em O Aviador (2004), de Martin Scorsese. Blanchett interpretou Kathryn Hepburn, na primeira vez que um ator ou atriz ganhou uma estatueta por dar vida a outro ator ou atriz que ganhou a estatueta.

Cate Blanchett com seus Oscar: por “O Aviador” (2004) e “Blue Jasmine” (2013)

Blanchett ganharia outro Oscar em 2014, desta vez por uma personagem ficcional: Jasmine, a decadente protagonista de Blue Jasmine (2013), dirigido por Woody Allen. Ela também foi indicada a mais quatro estatuetas: em 2006, por Notas Sobre um Escândalo, de Richard Eyre; em 2016, por Carol, de Todd Haynes; e duas vezes em 2008, por papéis muito diferentes – de novo a rainha britânica em Elizabeth: A Era de Ouro, de Shekhar Kapur, e o cantor Bob Dylan em Não Estou Lá, de Todd Haynes. Se alguém duvidava da versatilidade e da capacidade da atriz de desaparecer nos mais diferentes personagens, 2008 resolveu esta questão. 

Blanchett ainda mostraria seu talento em filmes tão diversos quanto o drama O Curioso Caso de Benjamin Button (2008); a aventura Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (2008); a animação Como Treinar o Seu Dragão 2 (2014), no qual dublou a personagem Valka; a fantasia Cinderela (2015); o indie Manifesto (2015), no qual interpretou 13 personagens diferentes; e o blockbuster Thor: Ragnarok (2017).

Dois dos projetos mais recentes da atriz chegaram recentemente ao streaming do Telecine. O primeiro é Cadê Você, Bernadette? (2019), dirigido por Richard Linklater e inspirado no livro de Maria Semple. Blanchett interpreta a personagem-título, Bernadette, uma mulher com crise de ansiedade que desaparece logo antes de uma viagem de família. O outro filme é Oito Mulheres e um Segredo (2018), de Gary Ross, a versão feminina de Onze Homens e um Segredo, no qual divide a cena com Sandra Bullock, Anne Hathaway, Mindy Kaling, Rihanna, Awkwafina, Helena Bonham Carter e Sarah Paulson.

Nos últimos anos, Blanchett tem participado bastante das discussões sobre a participação das mulheres no cinema. Ela é uma das entrevistadas do documentário Mulheres em Hollywood: É Hora da Mudança (2018), de Tom Donahue, que aborda justamente o machismo na indústria do entretenimento – e que também está disponível no streaming do Telecine

Vale lembrar que Blanchett esteve junto à Agnès Varda (1928-2019) na liderança de um protesto contra a desigualdade de gênero que marcou a edição de 2018 do Festival de Cannes. Presidente do júri, a australiana era uma das 82 mulheres que se posicionaram nos degraus que levam ao Théâtre Debussy simbolizando os 82 filmes dirigidos por mulheres que tinham sido selecionados para a competição principal em toda a história de Cannes até então – contra 1.645 filmes dirigidos por homens.

Durante o protesto, Varda e Blanchett leram um comunicado no qual defenderam a importância da paridade salarial e de “ambientes de trabalho diversos e igualitários que possam refletir melhor o mundo em que vivemos”. “As escadas da nossa indústria devem ser acessíveis a todos”, disseram. “Vamos subir!”

Veja os filmes de Cate Blanchett que você assistir no streaming do Telecine:

  • Cadê Você, Bernadette? (2019)
  • Oito Mulheres e um Segredo (2018)
  • Mulheres em Hollywood: É Hora da Mudança (2018)
  • O Mistério do Relógio na Parede (2018)
  • Cinderela (2015)
  • O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (2014)
  • Como Treinar o Seu Dragão 2 (2014)
  • O Hobbit: A Desolação de Smaug (2013)
  • Blue Jasmine (2013)
  • O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (2012)
  • Robin Hood (2010)
  • O Curioso Caso de Benjamin Button (2008) 
  • Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (2008)
  • Notas Sobre um Escândalo (2006)

* Este texto foi produzido pelo Mulher no Cinema e é patrocinado pelo Telecine

Foto do topo: Ian Gavan/Getty Images

Top